Menu

Fique Por Dentro

19 de março de 2018

Dinis afirma em Ubá que Minas Gerais quer e precisa de mudança

O ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais Dinis Pinheiro recebeu, nesse sábado (09/12), o Título de Cidadão Honorário de Ubá, na Zona da Mata. A indicação da homenagem a Dinis foi da presidente da Câmara Municipal, Rosângela Alfenas. Diante de um plenário lotado com a presença de dezenas de lideranças e moradores da região, Dinis ressaltou que fará da honraria um instrumento da mudança social que os mineiros exigem.

“A alma de Minas Gerais nesse momento é de renovação. E a renovação só se faz inventando e criando, com empreendedorismo e coragem, para que todos possam desfrutar da paz, prosperidade e da justiça social da Minas Gerais que começa agora, e de um novo Brasil que iremos construir”, destacou.

Dinis afirmou que falta coragem social e moral em Minas Gerais e no país para que seja construída uma “sociedade solidária, emancipada da dor, fome, miséria e ignorância”. Dinis salientou que o momento é de oportunidade para “enxergar um horizonte de felicidade, de uma vida diferente e bem melhor para todos os mineiros.”

Também participaram da cerimônia o prefeito de Ubá, Edson Teixeira, o vice-prefeito Vinícius Samôr e vereadores, entre outras autoridades e lideranças, como o deputado estadual Roberto Andrade.

Descaso

Em entrevista antes da solenidade na Câmara Municipal de Ubá, Dinis Pinheiro destacou o descaso do atual Governo de Minas Gerais com a saúde, educação e segurança.

“Só aqui em Ubá, a administração estadual está devendo R$ 10,9 milhões para o município na área da saúde e mais R$ 12 milhões para o Hospital Santa Isabel, um hospital filantrópico de importância regional, que atende cerca de 300 mil pessoas em 20 municípios”, destacou Dinis ao mostrar que o Governo de Minas também deve R$ 356 mil para o transporte escolar em Ubá.

“Por onde se olha, vemos o governo incompetente e patrimonialista que temos em nosso Estado. Olhem só a segurança. Aqui na Zona da Mata houve uma verdadeira explosão de crimes. Em 2016, foram registrados 40% mais crimes violentos do que em 2014. Não dá para continuar assim. Os mineiros querem mudança”, afirmou Dinis.