Menu

Fique Por Dentro

19 de março de 2018

Dinheiro público deve atender aos interesses do cidadão, afirma Dinis

O ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais Dinis Pinheiro defendeu, nesta sexta-feira (1/12), em Tiradentes, o fortalecimento dos municípios como forma de melhorar a prestação de serviços públicos, atendendo ao interesse do cidadão. 

"Só um líder municipalista pode nos conduzir a uma nova Minas. O dinheiro arrecado no município não tem que ir para a Cidade Administrativa, para Brasília. Porque quando parte desse dinheiro volta ao município, volta com muita burocracia e, muitas vezes, com corrupção. O recurso tem que ficar no município para ser investido nas prioridades da população”, afirmou Dinis. 

Dinis participou de encontro com prefeitos e lideranças da região dos Campos das Vertentes e do Alto Paraopeba. Estavam presentes os prefeitos de 23 municípios, além de vice-prefeitos, vereadores e lideranças dos 42 municípios que compõem as regiões. 

"O Governo de Minas deve hoje R$ 52 milhões na saúde apenas aos 42 municípios aqui representados, entre repasses para prefeituras e hospitais filantrópicos. Deve também mais de R$ 4 milhões para o transporte escolar na região. Não podemos aceitar essa falta de cidadania tributária".

Dinis foi recebido pelo prefeito de Tiradentes, Zé Antônio do Pacu, pelo prefeito de Ritápolis e presidente da Amver, Higino de Sousa, e pelo prefeito de Conselheiro Lafaiete e presidente da Amalpa, Mário Marcus. As associações de municípios da Microrregião dos Campos das Vertentes (AMVER) e do Alto Paraopeba (AMALPA) organizaram o encontro, que contou ainda com a presença do deputado estadual Glaycon Franco.

Turismo

Dinis também destacou a importância do turismo como forma de estimular a economia mineira, com a capacitação de mão-de-obra e a melhoria da infraestrutura.

"Investir em infraestrutura, fortalecer nossa educação, capacitar a juventude, promover o empreendedorismo. O fortalecimento do turismo será fundamental para redescobrirmos um novo ciclo de progresso. O mineiro precisa se reencontrar com o sonho e com a esperança", afirmou Dinis.