http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site5.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site4.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site3.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site2.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site1.jpglink

Em programa de rádio Dinis faz balanço da prestação de contas da ALMG

Presidente da ALMG e deputados visitaram 20 cidades de Minas

“Minas Gerais é um Estado enorme, maior até do que muitos países, e nós precisamos fazer um esforço muito grande para atingir todas as regiões”. Lembrando a relevância territorial de um dos maiores Estados do País e a importância de conhecê-lo bem, o presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), deputado Dinis Pinheiro (PSDB), abriu o programa de rádio “Você Pergunta, a Assembleia Responde” desta semana. 

Depois de percorrer mais de 14 mil quilômetros, em diversas regiões do Estado, a Reunião de Prestação de Contas Regionalizada da ALMG coletou centenas de sugestões das populações das 20 cidades visitadas e das vizinhas que participaram dos eventos. Segundo Dinis, a saúde pública é a principal reivindicação da população. “Falta de médicos nos postos de saúde, demora na marcação de exames e na internação, demora maior ainda para o atendimento em clínicas especializadas”, alertou.

O presidente ressaltou também que a Assembleia de Minas já está na luta pela melhoria da saúde publica no Brasil através da campanha Assine + Saúde e que, somente em Minas Gerais, já coletou mais de 400 mil assinaturas, para apresentação de projeto de lei que obrigue a União a investir mais na área.

Ao final, Dinis Pinheiro confirmou o compromisso da Assembleia de Minas com a população e disse que a prestação de contas não é mais uma experiência da Casa. “É um programa que já se tornou definitivo para nós da Assembleia e será mantido sim nos próximos anos”, finalizou.

Última modificação emSegunda, 28 Julho 2014 23:49

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.