http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site5.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site4.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site3.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site2.jpglink
http://dinispinheiro.com.br/images/banners/banner site1.jpglink

Dinis defende fortalecimento de municípios durante encontro com 260 prefeitos em BH

“Os municípios não são problema. Os municípios são a solução!”, afirmou Dinis
 
O ex-presidente da Assembleia Legislativa de Minas Gerais Dinis Pinheiro defendeu, na noite desta segunda-feira (11/12), o fortalecimento dos municípios como forma de promover o desenvolvimento econômico e transformações sociais no Estado.
 
Dinis defendeu que o fortalecimento dos municípios seja visto como a solução para Minas Gerais. Para ele, é inaceitável que o Governo de Minas trate as prefeituras com descaso, inclusive se apropriando de recursos que pertencem aos municípios.
 
“Os municípios não são problema. Os municípios são a solução! Não iremos permitir a perversa lógica que hoje reina em nossas Minas e em nossas Gerais: a do Estado a serviço do poder. Um estado que concorre com as prefeituras e ainda subtrai o dinheiro das cidades”, afirmou. 
 
Dinis destacou a proximidade dos gestores municipais com a população, que conhece verdadeiramente suas prioridades.
 
“São nos 853 municípios onde os cidadãos mineiros moram, trabalham, criam seus filhos, pagam seus impostos. A hora da mudança é agora!”
 
A defesa dos municípios foi feita por Dinis em Belo Horizonte, durante lançamento do movimento A Minas Que Começa Agora. 
 
Estavam presentes no encontro político o senador Antonio Anastasia, o ex-governador Alberto Pinto Coelho e cerca 260 prefeitos, além de cerca de 1.300 lideranças de mais de 600 municípios de todas as regiões de Minas Gerais.
 
Também compareceram deputados federais e estaduais do PP, PSDB, DEM, PPS, PDT, PTB e PR, além de lideranças do Solidariedade, do PRTB e outras legendas.
 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.